A sua comunidade offline, agora online

Em 1961, o Presidente John F. Kennedy criou a Peace Corps. Era o ápice da guerra fria e, ainda assim, essa nova organização foi criada para “promover a paz mundial e a amizade”. Desde então, mais de 200.000 norte-americanos uniram-se à Peace Corps e realizaram seu serviço voluntário de 2 anos em 139 países.

Mas a experiência da Peace Corps não termina depois de 2 anos. Os voluntários retornados da Peace Corps (RPCVs) contam com uma experiência compartilhada que os conecta a uma comunidade que continua a fazer o bem ao redor do mundo. É aí que entra a National Peace Corps Association, uma associação independente e sem fins lucrativos. Ela conecta e apoia RPCVs, certificando-se de que suas vozes sejam ouvidas.

Erica Burman é uma ex-voluntária da Peace Corps em Gâmbia e agora é Diretora de Comunicações da National Peace Corps Association. Ela explica o motivo de terem iniciado a comunidade do Ning, “Antes da nossa comunidade do Ning, os RPCVs estavam espalhados pelo mundo inteiro e era difícil encontrá-los. Mesmo online, não havia uma espaço único onde os voluntários pudessem se reunir”.

Nosso  espaço virtual

“Procurávamos uma maneira de criar esse espaço virtual. Como uma instituição sem fins lucrativos, não tínhamos centenas de milhares de dólares para construir uma plataforma personalizada, e não precisávamos de uma, porque o Ning nos permitiu criar o local que tínhamos em mente. Utilizamos até um modelo de design do Ning, pronto para uso”.

“Participo de redes sociais há realmente muito tempo, então sei o que eu gosto em um espaço online. Conhecemos nossos membros muito bem e precisávamos de um local onde pudéssemos ser autênticos, originais e receptivos”.

A comunidade da NPCA no Ning tem mais de 26.000 membros e é a maior rede social da Peace Corps online. “É onde nossos membros se encontram, discutem problemas e postam eventos. Os membros podem fazer perguntas e receber as respostas de outros membros, geralmente em poucos minutos”.

“Estamos fornecendo um serviço, uma plataforma, para a nossa comunidade e como um grupo de membros antigos, o que nos ajuda a demonstrar o motivo pelo qual você deveria apoiar e juntar-se a nós”.

“Nossa rede do Ning é algo que podemos dizer termos criado para você, ela está lá para ser usada para o que for necessário”.

Os membros não só obtêm respostas a perguntas que apenas companheiros voluntários da Peace Corps saberiam responder, mas também usam a comunidade para localizar pessoas com quem serviram e para encontrarem novos membros que vivem nas redondezas que provavelmente jamais encontrariam. “O grupo Black Hills South Dakota começou com três pessoas, alguém criou o grupo e agora eles podem encontrar pessoas da mesma área, não importa o quão distantes estejam”.

Membros querem conexões e privacidade

“Fomos de zero a 10.000 membros no nosso primeiro ano. Isso prova que as pessoas realmente procuravam esse tipo de interação com outras pessoas do Peace Corps. Como o Peace Corps existe há mais de 50 anos, muitos de nossos membros iniciais eram mais velhos, não eram pessoas que achávamos que iriam entrar em uma comunidade online, mas ficamos gratos por eles terem vindo”.

Burman explica por que um site exclusivo é crucial para a sua comunidade.

“Muitos de nossos membros se preocupam com privacidade. Não queremos compartilhar informações pessoais em outros sites de mídia social”. Ainda assim, eles se sentem confortáveis na nossa comunidade exclusiva para membros no Ning.

“Nossa comunidade dor Ning é acolhedora porque ela foi criada por nossos membros e para eles. É necessário ter servido no Peace Corps para participar”.

“De um lado prático, outros sites de mídia não garantem que os membros vejam seus posts. Berman diz, “Embora o Facebook tenha sido bom para nós no início, agora parece que uma quantidade cada vez menor de pessoas estão vendo o nosso conteúdo. Não podemos pagar para promover posts e, mesmo se pudéssemos, não há nenhuma garantia de que os membros irão vê-los”.

“Se eu enviar algo na comunidade do Ning, sei que eles verão. Além disso, é fácil exportar dados de participação para o nosso boletim mensal por email”.

“Quando enviamos uma mensagem para a nossa comunidade do Ning, sempre vemos uma enxurrada de respostas. Enviamos uma pesquisa para vários locais perguntando aos membros sobre suas atividades e vida depois do Peace Corps. A comunidade do Ning foi a mais receptiva”.

A associação ainda usa o potencial de outras redes sociais, incluindo o Facebook, o Twitter, o YouTube e o LinkedIn, mas o site do Ning é o centro de seus esforços online.

Dicas sobre como administrar uma comunidade

Burman diz que ter foco é vital, “Nossa comunidade é diversificada, mas gira em torno de um só tema”.

Conhecer a sua comunidade não é suficiente. Você precisa fazer parte dela, sendo útil de uma maneira que uma pessoa de fora não poderia.

O conselho de Burman é, “De certa forma é como ser anfitrião de um coquetel. É uma mídia “social”, então não é algo de uma só via, é uma conversa, é real, autêntico e receptivo. Cuidado e alimentação são fundamentais, temos que estimular o conteúdo e as conversas”.

“Acho que o calendário compartilhado é um dos itens mais eficientes no site. Incentivamos todos os nossos membros a postarem eventos, independentemente de onde estejam. A pessoa pode verificar o calendário e encontrar um evento com presença física em sua área”.

O compartilhamento de fotos também é popular, “Há mais de 13.000 fotos postadas por nossos membros e elas ajudam a iniciar conversas”.

“Como somos um grupo de membros antigos, precisamos responder a ‘o que vocês fizeram por nós recentemente?’. Nossa resposta, ‘criamos essa comunidade para vocês!’”.

“São essas as ferramentas que você deve usar. Não existe resposta certa ou errada, é uma constante experiência. Você precisa estar aberto para tentar novas coisas. Algumas delas funcionam, outras não, mas tudo bem. Elas variam de acordo com a personalidade e peculiaridades da sua comunidade e, com o tempo, você aprende como manter as pessoas engajadas”.

A missão original do Peace Corps, promover a paz e a amizade, ainda vive e está atuante no mundo inteiro, agora também online.